Veja as 3 diferenças do Bitcoin entre a Blockchain

Share:
Diferença do bitcoim entre a blockchain


São duas coisas complementares.

Bitcoin (BTC) é a primeira criptomoeda a funcionar seguramente pela internet, para transações diretas entre duas partes, sem nenhum intermediário como uma operadora de cartão de créditos ou instituição bancária.

Para que isso fosse possível, foi criado um banco de dados distribuído, de informações públicas com registros que não podem ser alterados depois que uma transação com Bitcoins é concluída.

Blockchain foi o nome dado a este banco de dados, que consiste em um rede internacional de computadores distribuídos que suporta o Bitcoin, guardando o histórico das transações e atualizando o saldo dos usuários.

O histórico de transações ou qualquer outra informação gravada em um Blockchain jamais pode ser alterada.


# 1. Como funciona

Na rede Blockchain, as informações de transações são registradas em blocos (arquivos de texto) criados a cada 10 minutos, que são matematicamente ligados aos bloco anteriores por um algoritmo criptográfico (hash).

Apenas um nó da rede Blockchain (computador) recebe o poder fazer alterações no próximo bloco, e para isso precisa resolver um problema matemático muito trabalhoso, antes de todos os outros.

💡 Tudo sobre o Blockchain

Ao computador vencedor é concedido um alto prêmio (atualmente 12,5 BTC), e o direito de validar as transações (pagas) dos últimos 10 minutos.

Este processo de cálculos computacionais é chamado de mineração, pelo seu grau de dificuldade elevado para criar novos Bitcoins.


# 2. Segurança

É muito difícil alterar o Blockchain porque a cada 10 minutos apenas um computador no mundo ganha o direito de incluir um novo bloco, e com isso ganhar o prêmio.


Além dessa, não existe nenhuma outra forma de alterar o Blockchain.

O computador vencedor faz as atualizações e deve conferir se as transações tem fundo ou não no Blockchain público, mas não pode alterar nenhum dado porque cada carteira é protegida pelas chaves privadas.

Um participante desonesto poderia tentar reverter uma transação que ele próprio tivesse feito antes, porque conhece as chaves privadas. Isso é conhecido como "gasto duplo".

Mas alterar o histórico invalidaria um número identificador que é criptograficamente associado ao conteúdo do bloco anterior.

Seria necessário recalcular todos os blocos a partir da transação revertida, com altíssimo custo monetário em processamento computacional, e energia elétrica.

Qualquer erro é facilmente verificado por outros nós da rede Blockchain, e nesse caso o novo bloco calculado é invalidado, revogando o prêmio de 12,5 Bitcoins e penalizando a potencial tentativa de trapaça.

Outro ataque possível é tentar dominar 51% da força computacional da rede, e trocar o Blockchain atual por outro.

Mas isto teria custo elevado em tempo, processamento e energia elétrica, o que protege o Blockchain do Bitcoin até mesmo contra tecnologias militares ou ataques de países.


# 3. Outras aplicações

Após o sucesso do Bitcoin, como moeda virtual criptográfica, percebeu-se que o banco de dados Blockchain, poderia ser aplicado de outras formas, em qualquer situação que exija transparência e eliminação de um intermediário provedor de confiança.

Além do exemplo do dinheiro (Bitcoin) sem instituição financeira, outros exemplos de uso do Blockchain seriam votos numa eleição sem o TSE para validar o resultado, ou um registros de imóveis ou civis sem um cartório.


Gostou do nosso conteúdo? Deixe o seu comentário